home Noticia - Bloco COR 2.772 views # Denúncia com transporte

Usuários denunciam empresa de transporte de Tracuateua.

           Usuários reclamam dos serviços prestados pela Empresa Trans São Raimundo, responsável de fazer a linha Tracuateua/Bragança.

            A empresa Trans São Raimundo (TSR) vem sendo alvo de críticas e denúncias por diversos passageiros insatisfeitos com as condições oferecida aos mesmos e aos demais usuários por parte da empresa e de seus funcionários.

            Segundo uma estudante, os ônibus quase ou nunca cumprem a regularidade do horário de circulação, visto que, o ideal é que houvesse a saída de um ônibus de meia em meia hora de cada cidade (Tracuateua e Bragança). O excesso de velocidade também é uma preocupação da mesma, sobretudo, quando os ônibus estão com superlotação, dessa forma colando em risco a integridade física dos passageiros.

            Outra reclamação da mesma estudante é sobre as condições dos ônibus, pois alguns estão danificados e em muitas oportunidades ocorreu problemas mecânicos durante as viagens, o que deixou os passageiros preocupados, já que tais problemas mecânicos colocam a vida dos usuários em risco, além disso colocam os passageiros em situação constrangedora a de aguardar outro ônibus em beira de estrada.

            Uma reivindicação constante de muitos usuários é sobre a diminuição da frota de ônibus nos finais de semana e feriados. “Quem tem ou quer ir ou vir de Bragança nesses dias é melhor pensar em outra alternativa. Roda um ou dois no máximo e se aparecer alguém fazendo linha em carro pequeno os donos da empresa ainda fazem de tudo pra eles deixar de rodar” afirma um denunciante anônimo.

            Outro estudante, cliente da TSR também fez duras críticas à empresa, por, segundo o mesmo, não cumprir com a legislação que garante passe livre a idosos e meia passagem aos estudantes universitários. “Presenciei um casal de idosos sendo obrigados de forma arrogante a pagar passagem, todos no ônibus ficaram irritados com o cobrador e o fiscal”, completa.

             O mesmo estudante disse que já denunciou a empresa junto a Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Pará (ARCON) para relatar as arbitrariedades contra o direito dos estudantes em pagar meia passagem assegurada pela lei estadual 7.327/2009. Segundo o mesmo, ao perguntar ao cobrador porque não aceitaria a carteirinha de meia passagem estudantil o funcionário disse que foi orientação do responsável pela TSR que mandou que fizesse. O estudante ainda disse que todos aqueles que se sintam lesados pela empresa devem denunciá-la para que ela então cumpra as normas da ARCON e garanta o direito de todos.

            Em entrevista ao Site Portal Tracuateua, Junior Rosendo, administrador da TSR, respondeu todas as críticas e denúncias feitas em relação a empresa. Ele disse que a gratuidade de passagens para pessoas idosas ocorre e ainda acrescentou que, por uma questão de bom sendo, está sendo disponibilizados mais assentos do que o limite legal obrigatório estipulado pela lei 10.741/03 (estatuto do idoso) que diz que deverá ser reservado 10% dos assentos no transporte coletivo para esse público, dessa forma o ideal é que seja garantido até seis (6) cadeiras por ônibus para idosos.

            Em relação à meia passagem estudantil, Junior diz que também é assegurado, mas é necessário que os estudantes apresentem a carteirinha de meia passagem que é emitida pela ARCON para comprovar que é estudante universitário. Demonstrando alguns talões de passagem destacados e relatórios, afirmou que têm denúncias que não procedem. Segundo o mesmo, quando foi acrescentado um micro-ônibus na linha, foi orientado de início que não aceitasse a meia passagem e nem passe livre, pois já havia outros cinco (5) ônibus garantindo esses direitos, porém, dias depois foi estendido ao micro-ônibus a meia passagem estudantil, menos a gratuidade para idosos [atualmente o micro-ônibus está inoperante].

            Sobre a possível irregularidade nos horários de saída dos coletivos, o Senhor Junior Rosendo disse que desde que assumiu a empresa, somente em uma ocasião ocorreu atraso na saída do ônibus. Atualmente o planejado é que haja uma saída de coletivo de trinta (30) em trinta minutos no turno da manhã e de uma em uma hora no turno da tarde, ele assegurou que a partir de agosto a saída dos ônibus durante o turno da manhã irá acontecer a cada vinte minutos. Em relação à circulação nos finais de semana o empresário disse que até sábado a circulação é normal como nos demais dias da semana, no entanto, nos domingos e grandes feriados não é possível colocar mais do que um (1) ônibus, pois não há demanda suficiente e pondo mais um ônibus durante os domingos a empresa teria um saldo financeiro negativo.

            O responsável pela empresa disse que: “caso os ônibus estejam circulando em alta velocidade é de responsabilidade do motorista qualquer acidente que possa acontecer e os passageiros tem todo direito de cobrar que diminuam a velocidade”, informou que o limite de velocidade é de 80km/h.

            Outro questionamento respondido pelo representante da empresa foi sobre a redução do último horário que de circulação dos coletivos; (anteriormente saindo às 18h15min de Tracuateua e retornando às 19h de Bragança e atualmente a última circulação sai de Tracuateua às 18h de Tracuateua e às 18h30min de Bragança) ele disse que foi uma decisão da empresa a de reduzir o horário de rodagem, porém, como afirmou, havendo demanda, o antigo horário de rodagem pode ser reestabelecido.

            Sobre os constantes problemas mecânicos apresentados por ônibus da frota da empresa, o empresário diz que foram resolvidos, explicando que havia a falta de manutenção dos veículos. “Anterior ao primeiro dos seis era problema todo dia, depois do primeiro dos seis só teve um problema com ônibus” afirmou o mesmo se referindo ao período que voltou a assumir a direção da empresa.

            Perguntado se a empresa pensa em reajustar o valor da passagem, Junior disse que haverá aumento no valor da passagem a partir de 1º de agosto, o valor passará dos atuais R$3,00 para R$3,25. O empresário explica o aumento dizendo que o valor atual vigora há três anos e durante esse período o valor do combustível subiu e outros custos com a manutenção da empresa também. “Estamos buscando melhorar nosso serviço, aumentando a frota, padronizando nossos veículos pra atender melhor nossos passageiros” concluiu o empresário.

 

Matéria: Fabrício Monteiro

2.772 viewsPublicado por: Allan Corrêa | em: 17/07/2017
COMENTE:
Arrow
Arrow
Slider
Arrow
Arrow
Slider